Marcadores

TIRAS (617) HQ (147) INSPETOR (126) RESENHAS (111) CARTUM (42) LEITMOTIV (19) LEXY DRIVER (19) CONTOS (15) CINEMA (12) LEXY COMICS (6) TEATRO (6) PORTFÓLIO (5) ROTEIROS (4) ARTES PLÁSTICAS (3) FOTOS (2)

BOTÕES DE COMPRA

Comprar VIDA DE INSPETOR
Comprar LEITMOTIV

quarta-feira, 19 de março de 2014

PREACHER


PREACHER, a polêmica e divertida obra máxima de Garth Ennis e Steve Dillon. Leia um pouco sobre ela aqui:

Uma das HQ’s mais polêmicas dos anos 90 está sendo relançada (novamente ) no Brasil. PREACHER, de Garth Ennis (roteiro) e Steve Dillon (desenhos), está com seu primeiro volume sendo lançado pela Panini Comics. Pra quem não conhece, a revista conta a história de Jesse Custer, um pastor protestante com poderes especiais, que sai pelo mundo procurando por Deus, que abandonou o céu. Daí que vem a polêmica, pois muitos religiosos que nunca leram a HQ já ficaram revoltosos.
Publicada a partir de 1995, pela DC Comics, através do seu selo Vertigo de quadrinhos adultos, a revista começa com Jesse Custer tendo uma crise de fé. Bêbado, ele entra em um bar, e reclama de todos os pecadores da pequena cidade de Annville, Texas, que não se importam em passar os dias pecando. No dia seguinte, a igreja estava lotada, pois toda a cidade ouviu sobre o surto do pastor, e queria ver. Nesse momento, surge  uma criatura chamada GÊNESIS, que depois se revela com sendo o filho de um anjo e uma “demônia”, uma criatura que não deveria ter existido, por combinar os poderes do céu e inferno, bem e mal juntas. Assim, quando ele nasce, Deus decide abandonar o céu e todas as suas responsabilidades para com a humanidade. E vagar pela Terra.
Quando a criatura se choca com Jesse, passa a fazer parte de sua alma, dando-lhe “o poder da palavra”, que faz com que todos que ouçam a voz de Jesse obedeçam, o que quer que ele peça pra fazer. Após descobrir que Deus não está mais no céu, Jesse, em companhia de sua ex-namorada Tulipa, e de um vampiro divertidíssimo chamado Cassidy,  eles começam uma peregrinação ao redor do mundo, procurando por Deus. . Tudo isso é contado no primeiro encadernado da saga, que acaba de ser relançado, A CAMINHO DO TEXAS.
Mas, ao contrário do que possa parecer, a proposta dessa HQ não é criticar a religião. Conforme as histórias transcorrem, o leitor se depara com vários contos divertidos sobre os valores humanos, principalmente a amizade e o amor. Contos divertidos e violentos. Garth Ennis várias vezes foi considerado o Quentin Tarantino das hq’s. E os desenhos simples e expressivos de Steve Dillon contribuem e muito pra esse resultado. Atualmente, o escritor está se repetindo, fazendo hq’s com o mesmo estilo de violência e humor negro, mas de forma gratuita, mas na época, ele estava no auge de sua criatividade, e cada página de PREACHER surpreendia o leitor. Garth Ennis constrói sua saga de forma excelente, nos moldes dos melhores seriados.
Nas edições seguintes, embora a “missão” de Jesse seja encontrar Deus, aos poucos a história vai tomando outra direção, e no decorrer da saga, Ennis nos revela que na verdade, tudo não passa de uma história envolvente sobre a condição humana, em especial os relacionamentos. Talvez de propósito, o trio principal seja composto de um amigo e um amor do personagem principal. Assim, o que começa como uma busca grandiosa se transforma em uma busca interior.
No meio da saga, os autores fazem uma pequena reviravolta que parece a princípio um erro, mas que depois se mostra como algo acertado: ele faz os personagens acharem um meio mais rápido e fácil de encontrar Deus. Então, a peregrinação pelo mundo aparentemente pode chegar ao fim de forma abreviada. É aí que a grande reviravolta acontece. As relações entre todos os personagens fica abalada, além de um plano do vilão principal da série separar os amigos. Mas depois de uma pausa de busca interior entre eles faz com que a busca retorne ainda mais forte, e somos encaminhado para um final surpreendente. Garth Ennis, declaradamente ateu, acaba criando um Deus muito mais próximo aos humanos do que estamos acostumados à ver em outras obras.
Com personagens muito bem construídos, diálogos que fluem com uma naturalidade bem real, além de divertidíssimos, a série, que teve 66 edições, além de 6 especiais, pode ser encontrada no Brasil solta (apesar de incompleta) em sebos, ou em edições encadernadas, que foram publicadas por várias editoras, e atualmente, pela Panini Comics.


Nenhum comentário:

Postar um comentário