Marcadores

TIRAS (617) HQ (147) INSPETOR (126) RESENHAS (111) CARTUM (42) LEITMOTIV (19) LEXY DRIVER (19) CONTOS (15) CINEMA (12) LEXY COMICS (6) TEATRO (6) PORTFÓLIO (5) ROTEIROS (4) ARTES PLÁSTICAS (3) FOTOS (2)

BOTÕES DE COMPRA

Comprar VIDA DE INSPETOR
Comprar LEITMOTIV

quarta-feira, 9 de abril de 2014

BIRDLAND

Consegue imaginar uma história cheia de sexo e alienígenas, e ainda assim ser muito divertida? Pois a mente brilhante de Gilbert Hernandez consegue.
Leia minha resenha de Birdland aqui: 

BIRDLAND
Birdland é uma HQ escrita e desenhada por Gilbert Hernandez. Só isso já é motivo pra qualquer um que aprecia quadrinhos independentes a ficar curioso em ler esta obra. E, saber que se trata de uma história “pornográfica” é pra deixar ainda mais curioso. Afinal, quem conhece o traço do artista sabe que ele desenha belíssimas mulheres. 
Mas BIRDLAND é mais que apenas isso. É arte!
Bem, de certo modo, a história pode parecer apenas como a de qualquer filme pornô, afina, à primeira vista, ela é apenas uma mera desculpa para os personagens praticarem sexo. E, nesta história, há sexo em todas as páginas. Ao folhear a revista, nem parece que há uma história ali no meio, da a quantidade de cenas de “ação” presentes em quase todos os quadrinhos. Mas há sim uma história. Simples, mas está ali.
A trama conta a história de personagens que tem ligação com a já conhecida “Love and Rockets”, que Gilbert, junto de seus irmãos editaram desde o começo dos anos 80. Fritz Herrera, meia irmã da personagem Lubba, que aparece em “Sopa de Gran Peña”, uma das “sagas” de Gilbert em Love and Rockets, é uma psiquiatra que ignora completamente o marido, enquanto abusa secretamente de seus pacientes, hipnotizando-os. Seu marido, Mark, tenta esquecer seus problemas “pulando a cerca” todo o tempo. Apesar de ignorado pela esposa, Mark é o interesse amoroso de Petra, sua cunhada. Ele tenta fugir dela, mas a garota é insistente, e não mede esforços em conquistar Mark.
Há também outros personagens, uns com interesses nos outros, em um verdadeiro jogo de emoções e corações que mais parece uma novela mexicana. Nada mais natural, afinal Hernandez é mexicano. Mas ele não cria uma trama melosa como as que vemos na TV. Pelo contrário, a alma mexicana é agradável aqui. Ele tem um estilo que, em outras histórias, já foi comparado com Garcia Marques. E, nesta edição, ele usa o formato de novela pra criar uma trama divertida e escapista.
Afinal, na primeira página da história, há um prólogo que mostra uma das personagens,  bang Bang, que sumiu no meio do mato quando criança, e que talvez por isso carregue segredos que nem ela própria sabe o que são. Adulta, ela se torna uma dançarina de strip-tease, e que pode ser a chave de uma invasão alienígena.
Invasão? Bem, talvez não exatamente. Talvez os aliens tenham outros planos pra nós humanos. E talvez esses planos envolvam a nossa sexualidade. Talvez sejam planos mostrados em um contexto que, assim como o sexo, é algo que pode apenas ser sentido e experimentado, mas dificilmente explicado em palavras.
Essa HQ foi publicada nos EUA pela editora Fantagraphics Books, especializada em quadrinhos alternativos. Lá fora, ela foi primeiramente uma minis-série, lançada no começo dos anos 90. No Brasil, saiu em 2009 pela editora Arte Sequencial, em um volume único, com um belo trabalho gráfico.
Uma história ideal não apenas pros amantes dos quadrinhos eróticos, mas pra qualquer um que quer desfrutar de momentos de diversão descompromissada, o tipo de história a qual Gilbert Hernandez é especialista.


Nenhum comentário:

Postar um comentário