Marcadores

TIRAS (605) HQ (146) INSPETOR (126) RESENHAS (111) CARTUM (41) LEITMOTIV (19) LEXY DRIVER (19) CONTOS (15) CINEMA (12) LEXY COMICS (6) TEATRO (6) PORTFÓLIO (4) ROTEIROS (4) ARTES PLÁSTICAS (3) FOTOS (2)

BOTÕES DE COMPRA

Comprar VIDA DE INSPETOR
Comprar LEITMOTIV

quarta-feira, 28 de maio de 2014

MUNDO FANTASMA


Um HQ alternativa cativante! 
Quem conhece o filme já sabe o que esperar (apesar de algumas mudanças na trama). Leia minha resenha aqui, ouvindo o tema de abertura do filme!



MUNDO FANTASMA
Apesar do enorme atraso pra chegar ao Brasil, obra de Daniel Clowes continua atual.
Lançado no Brasil em 2011, “Mundo Fantasma” é uma das mais conhecidas e celebradas obras de Daniel Clowes lá fora. Publicada serializada em sua revista “Eightball”, da editora Fantagraphics, e depois compilada com graphic novel em 1997, a história é conhecida pelos leitores de hq’s do Brasil graças ao filme GHOST WORLD, dirigido por Terry Zigwoff, que adapta essa história e possui roteiro do próprio Clowes.
Conta a história de Enid e Rebecca, duas amigas em seu processo de amadurecimento. Justamente no momento em que ambas estão saindo do colegial, e precisam pensar a vida, faculdade, emprego, essas coisas. Mas o grande chamativo da história está no fato de elas serem anti-sociais, que passam o tempo fazendo observações sarcásticas sobre o mundo e as pessoas ao seu redor. E são observações que fazem muito sentido.
A HQ é bastante diferente do filme, principalmente porque nela cada capítulo parece ser fechado. Claro, com o desenrolar das histórias, um pequeno “plano de fundo” acaba aparecendo para ligar tudo, e dar um destino a elas, mas cada capítulo pode ser lido de forma independente. E, com isso, o autor nos mostra o processo de amadurecimento tanto da história como das personagens. É como se, no começo, elas fossem apenas jovens desajustadas e sem perspectivas de vida, mas com o tempo, acabam precisando repensar suas vidas e seu futuro. Muito bom!
Discussões sobre sexo, TV, consumismo, família, sociedade, emprego, e tudo o que se passa pela vida e pelo dia a dia das pessoas ,elas acabam comentando. Em certo ponto, elas parecem ser uma versão niilista da Locas, do Jaime Hernandez, com o desapego e desesperança típicos de jovens americanos.
E, pra quem já viu o filme antes de ler a HQ, o bom é que uma história complementa a outra. Cada qual possui cenas e passagens diferentes em vários momentos, fazendo com que ler a HQ e ver o filme sejam experiências diferentes. E, entre cada situação que elas vivem, há vários pequenos momentos que deixam a história com aquela “cara” de “vida real”, que poucas hq’s conseguem transmitir. E, para completar nesse quesito, o traço de Daniel Clowes é uma mistura ideal de realismo na construção dos personagens, principalmente nos rostos, com a forma alternativa de desenhar a ambientação.
A edição nacional foi lançada aqui em 2011 pela Gal Editora, e o sucesso fez com que a editora lançasse uma nova tiragem da revista. Quem não leu ainda, eu recomendo. É o tipo de história feita pra se ler e reler de tempos em tempos, pois a cada leitura, vamos nos identificar com um momento de nossas próprias vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário