Marcadores

TIRAS (600) HQ (144) INSPETOR (126) RESENHAS (111) CARTUM (40) LEITMOTIV (19) LEXY DRIVER (19) CONTOS (15) CINEMA (12) TEATRO (6) LEXY COMICS (5) ROTEIROS (4) ARTES PLÁSTICAS (3) FOTOS (2) PORTFÓLIO (2)

BOTÕES DE COMPRA

Comprar VIDA DE INSPETOR
Comprar LEITMOTIV

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

ACONTECEU NO ÔNIBUS

nOTA:
Um conto erótico, meio estranho, que escrevi à um tempinho.Espero que você não se deixe levar pela inverossimilhança.Afinal, erotismo é brincar com a imaginação.

ACONTECEU NO ÔNIBUS
Todo dia é a mesma rotina, e isso cansa. Deixa qualquer um estressado. Por isso, acho ótimo quando acontece algo inusitado, pra quebrar minha rotina. Como certa vez, quando vi algo no ônibus, ao voltar do trabalho.
O ônibus estava, de certo modo, "vazio". Ninguém em pé, poucos bancos ocupados, a maioria na área central do ônibus. Eu entrei, e sentei no último banco, pra fugir de conversas idiotas de pessoas vazias. Quando estou num ônibus, me distraio olhando pala janela, vendo as fachadas das lojas e casas, lendo as placas, olhando as mulheres gostosas que passam na rua, etc. Mas, naquele dia, uma outra coisa me chamou a atenção.
Eu estava, como disse, no último banco, na fileira "do outro lado do motorista". Exatamente do outro lado, havia um casal de namorados. Estavam se beijando. Geralmente, eu não fico reparando em casais que se amassam por aí (não sou careta, não vejo nada de errado nisso. Até faço isso, quando estou namorando), mas dessa vez, eu reparei.
Primeiro, dei uma olhadela de leve, desviando o olhar rapidamente. Mas voltei a olhá-los. Notava principalmente ela, a garota, que usava uma saia curtíssima, que deixava à mostra suas coxas. E que coxas! My god! Eu só havia visto uma perna daquelas em modelos de filmes pornô europeus. O rosto dela também era uma maravilha. Uma mistura de Liv Tyler com Nicole Kidman, e os lábios da Angelina Jolie. Os seios, firmes e arredondados, quase pulavam pra fora do decote. E os olhos dela...(enquanto eu me encantava com a maravilha que era seu corpo) os olhos dela me encaravam.
Desviei o olhar rapidamente, olhando o que estava do lado de fora. Ouvi uma risadinha (era da garota. Até a risada era sexy). Arrisquei outro olhar. Os dois me olhavam, sorrindo. Dei um sorriso meios em graça, que foi retribuído com um beijo de língua deles (na verdade, o rapaz enfiou a língua pela boca dela, que acariciava com os lábios a língua do namorado). Eles nem se importavam com a minha presença.
Como pareciam ser um casal de exibicionistas, continuei observando, sem receio deles. Ao tirar a língua da boca da namorada, o rapaz foi descendo sua língua pelo queixo dela, indo até seu pescoço. Ao mesmo tempo, suas mãos firmes iam se esfregando pelas costas e cintura dela. Ela colocou uma perna no colo do rapaz, praticamente se deitando em cima dele. Em seguida, olhou pra mim, um olhar tão excitante, tão cheio de lascívia, tão provocante, que deixou meu pau quase estourando minha calça. Todo o tesão que ela sentia, demonstrava com aquele olhar pra mim.
Se a garota queria que eu sentisse seu tesão (e eu realmente sentia), o rapaz parecia ter se esquecido que estava em um ônibus. Ele desceu sua boca do pescoço dela até os seios, então, beijou-os. Depois, com um leve puxão da blusa dela, deixou um mamilo à mostra. Que mamilo! Quase gozei ali mesmo! Era bem rosado, contrastando com aquele seio de uma pele branca como leite. O bico era bem pequeno, mas bem pronunciado pra frente. O rapaz encostou a ponta da língua nele. Depois, começou a mamá-lo como um bebê na mãe.
A garota, me olhando provocadoramente, levou uma mão até a saia, abriu as pernas, me deixando ver sua calcinha, Meu tesão aumentava cada vez mais. Meu suor escorria por minhas costas.
O rapaz começou a mamar no outro seio. A garota se colocou no colo dele, de frente pra ele. O seio que tinha sido acabado de ser chupado estava bem no meu campo de visão. E que visão!
Então, a garota tirou a mão de sua xota, e começou a brincar com esse mamilo. Tocava-o, beliscava-o, sempre olhando pra mim.
O rapaz parou de mamá-la, e ela cobriu os seios, e só então, eu pude notar que sua outra mão estava dentro da braguilha do namorado, masturbando-o.
Ele levou a mão até o meio das pernas da namorada, e puxou a calcinha dela, que desceu até o meio de suas coxas com uma facilidade que me surpreendeu (provavelmente, eles já têm experiência em se exibir).
Então, eu me levantei. Eles me olharam com uma expressão do tipo "finalmente você decidiu se juntar à nós". Mas eu puxei o sinal para o ônibus parar. Fui até a porta sem olhar pra eles. Quando o ônibus parou e as portas se abriram, desci no meu ponto.
Naquela noite, quase não consegui me concentrar em meus afazeres, ou na tv. Só pensava no casal se exibindo. Antes de dormir, me masturbei pensando naquele casal, em como seria participar de uma foda com eles. Gozei como nunca havia gozado em uma masturbação antes.
Eu nunca esqueci daquele casal, e acho que nunca esquecerei. Mas infelizmente, nunca mais os vi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário