Marcadores

TIRAS (590) HQ (140) INSPETOR (124) RESENHAS (111) CARTUM (36) LEXY DRIVER (19) LEITMOTIV (17) CONTOS (15) CINEMA (12) TEATRO (6) LEXY COMICS (5) ROTEIROS (4) ARTES PLÁSTICAS (3) FOTOS (2) PORTFÓLIO (1)

BOTÕES DE COMPRA

Comprar VIDA DE INSPETOR
Comprar LEITMOTIV

sábado, 22 de março de 2014

LOVECRAFT


LOVECRAFT, hq do selo Vertigo que mistura a biografia do escritor com suas histórias, como se elas tivessem realmente acontecido com ele. Inusitado, e muito bem escrita. Saiba mais sobre ela aqui:

LOVECRAFT
Li recentemente esta belíssima HQ, que conta a história da vida do escritor HP Lovecraft, mas de uma forma um tanto inusitada: misturando as histórias que ele escreveu com a sua vida, como se todos os seus contos não fossem invenção, mas ele tivesse vivenciado aquilo.
Interessante, não?
Escrito por Hans Rodionoff e Keith Giffen, com arte maravilhosa de Enrique Breccia, a história começa com os pais de Harold (o HP), quando se conheceram, ele era assombrado por criaturas de outra dimensão, e tentou alertar sua esposa à avisar o filho sobre isso. Acabou em um hospício, e a mãe criou o menino (eventualmente o vestindo como menina) com a ajuda do avô. A princípio, a mãe tenta esconder o Necronomicom, o livro das trevas, dele, mas ele o encontra, e começa a ler, sem saber que ao fazê-lo estava trazendo as monstruosidades da cidade de Arkhan, nessa outra dimensão, para nossa Terra. Conforme vai crescendo, ele se torna um adulto estranho aos olhos dos outros, ao mesmo tempo que agrada seu editor com os contos estranhos que escreve. Ou melhor, ele descreve os contos vividos por ele, ou lidos no Necronomicom. Ninguém o leva a sério, mas ele fala que são reais assim mesmo. Até que ele se apaixona. Ele então, passa a tentar levar uma vida normal, mas aos poucos os seres de Arkhan começam a tentá-lo cada vez mais.
O que torna essa HQ uma excelente leitura é o fato de os fatos biográficos estarem tão bem mesclados com os ficcionais que tornam tudo muito crível. Os autores conseguem fazer com que cada passagem da vida do autor tenha sido influenciado pelo livro, e cada mudança em sua vida seja uma obra causada pelo contato com alguma das criaturas. Até mesmo o fato de porquê ele escreveria sobre isso tem uma explicação narrada na história, em seus momentos finais, claro. E o personagem Lovecraft encara os maiores terrores sempre com um ar calmo, quase como se fosse um portador de asperger.
E a arte do argentino Breccia é perfeita, ele consegue experimentar vários estilos de pitura diferentes, de acordo com o clima e a “locação” da história onde se passar determinada cena. Além de um enquadramento simples e sóbrio, ideal pra fazer o leitor mergulhar no clima  fantástico da história, mas ainda assim manter a mesma frieza e calma que o Howard Lovecraft sente quando encontra os monstros.
Assim, a HQ segue com um ritmo lento, e cheio de climas, nos fazendo acompanhar friamente e apreciando cada detalhe da vida dele, ao mesmo tempo em que, sem que nos demos conta, os segredos e mistérios do Necronomicom vão crescendo até o clímax da história, que chega tão de repente quanto cada momento da HQ, com a razão da luta desde escritor que relutantemente precisava assumir seu lugar como guardião do portal dimensional que era o livro. E um modo de impedir que os seres saiam de lá e venham pra nossa dimensão. E o resultado, é simples e inesperado. Um final perfeito pra coroar uma HQ excelentemente executada.

Um comentário: